Páginas

19 de jan de 2012

Desejo

Desejo


A cada dia. Tudo que vejo, toco e sinto
Esta cada vez mais ligado a uma desesperança.
Pois sinto que as pessoas preferem acreditar, que tudo vai ser igual sempre
Ou que as coisas são como são

Matamos pouco a pouco a esperança que acendia nossos sonhos.
Que noa guiava por florestas escuras e castelos assombrados na nossa infância.
Que dizia que tudo ia dar certo.

Que nos mostrava que podemos sim ser o craque da bola.
Ou o grande astronauta, piloto, medico.

Aos poucos afogamos essa esperança no nosso dia a dia.
Sufocamos com conceitos e com pensamentos egoístas.
E pouco a pouco;
Vamos ganhando o medo.
Medo de que tudo seja irreal.
De que o único caminho verdadeiro eh o palpável.

Paramos de enxergar o amor no mundo. E nos focamos nas desgraças alheias

Apenas nos incidentes e acidentes.
Nas escolhas ruins.

Passamos a ignorar as ações feitas de coração.
Paramos de pensar nos sentimentos da pessoas que esta ai nosso lado.
Ou pisamos no nosso próprio coração por uma ideia que nem ao menos eh nossa.

Somos seres estranhos.

Mas ainda sim tenho esperança.
Pois dentro de todo ser existe um coração, uma alma pura e sabia.
E por mais que esta alma se encontre aprisionada na escuridão.
Ela permanece tão pura e divina quanto sua origem no universo.

Por essa razão nunca perco a esperança.
E sempre terei em meu coração e em minha alma
O desejo

De nunca perder a esperança, que carrego da minha infância.



Fernando H. Constant

Nenhum comentário: